Ouça a rádio on-line.

A doutrina do Espírito Santo | Pneumatologia

Definição do Termo Pneumatologia:

Pneumatologia é o estudo de seres espirituais e phenomena, especialmente as interações entre os humanos e Deus.

Pneuma é a palavra grega para ” respiração”, que metaforicamente descreve um ser de espírito ou influência.

Em Teologia Cristã, Pneumatologia se refere ao estudo do Espírito Santo. Na doutrina Cristã popular, o Espírito Santo é a terceira pessoa de Deus na Trindade. Algumas formas de Cristianismo negam que o Espírito Santo seja pessoal, embora assegurando que pode, em algumas ocasiões, influenciar as pessoas

Espírito Santo é o termo usado para traduzir o termo hebraico Ruach HaKodesh, utilizado na Bíblia hebraica (Velho Testamento) para se referir à presença de Deus na forma experimentada por um ser humano. A maioria dos cristãos considera o Espírito Santo como o próprio Deus, parte da Santíssima Trindade.

Dons do Espírito Santo, segundo a Bíblia, são atributos proporcionados sobrenaturalmente aos cristãos pelo Espírito Santo. Segundo o texto bíblico da 1ª carta de Paulo aos Coríntios, existem nove diferentes dons possíveis de serem alcançados pelo cristão. Estes dons são postos em prática em comunidades cristãs, independentemente de sua razão confessional, por pessoas reconhecidamente cristãs em sua fé e prática. Foram bastante importantes na igreja cristã primitiva para a evangelização do mundo então conhecido.

A enumeração dos dons é proferida, ainda que incompletamente, na Primeira Epístola aos Coríntios, no capítulo 12, sendo eles:

l      Palavra da sabedoria;

l      Palavra do conhecimento;

l      Fé;

l      Dons de curar;

l      Operação de maravilhas;

l      Profecia;

l      Discernimento de espíritos;

l      Variedade de línguas;

l      Interpretação de línguas.

Dons Não-Miraculosos

l      Palavra da sabedoria;

l      Palavra do conhecimento;

Dons Miraculosos

l      Fé;

l      Dons de curar;

l      Operação de maravilhas;

l      Profecia;

l      Discernimento de espíritos;

l      Variedade de línguas;

l      Interpretação de línguas.

A primeira referência do derramamento do Espírito sobre a igreja está em Atos:

    “Quando chegou o dia de Pentecostes, todos os seguidores de Jesus estavam reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um barulho que parecia o de um vento soprando muito forte e esse barulho encheu toda a casa onde estavam sentados. Então todos viram umas coisas parecidas com chamas, que se espalharam como línguas de fogo; e cada pessoa foi tocada por uma dessas línguas. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, de acordo com o poder que o Espírito dava a cada pessoa.” (Atos 2.1-4)

Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito.
Gálatas 5:25

Uma coisa é falar sobre estar cheio do Espírito; outra completamente diferente é viver sob o controle e a direção do Espírito na nossa vida. Paulo está nos lembrando que devemos fazer mais do que apenas falar; devemos caminhar no Senhor. O Espírito Santo deve guiar nossas decisões, determinar nossa moralidade e controlar nossa conversa. Seu fruto – amor, alegria, paz, paciência, bondade, benignidade, gentileza, fidelidade e domínio próprio – deve ser evidente na nossa vida. Paulo diz aos cristãos cheios do Espírito, “Viva como os que estão cheios do Espírito!”

“E não vos embriagueis com vinho no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito”.

(Efésios 5.18) – O apóstolo Paulo ordena: “E não vos embriagueis com vinho no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito”. Aqui, Paulo dá uma ordem negativa: “não vos embriagueis com vinho” e uma ordem positiva: “enchei-vos do Espírito”. Paulo faz uma comparação superficial e um contraste profundo. A comparação é que assim como uma pessoa embriagada está sob o poder do vinho, assim também uma pessoa cheia do Espírito está sob o poder e influência do Espírito. O contraste é que o vinho conduz à dissolução, mas a plenitude do Espírito ao domínio próprio. Quem está cheio de vinho não pode estar cheio do Espírito. Quem é dominado pelo vinho não pode ser dominado pelo Espírito. A embriaguez é obra da carne e conduz à escravidão e à morte, mas a plenitude do Espírito traz liberdade e vida.

Uma pessoa cheia do Espírito tem deleite na adoração a Deus (Ef 5.19,20) – Uma pessoa cheia do Espírito louva de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais, dando sempre graças por tudo a Deus, o Pai, em nome do Senhor Jesus. Adoração e gratidão são evidências da plenitude do Espírito. Por conseguinte, uma pessoa que não se deleita na adoração e se entrega à murmuração não dá provas de que está cheia do Espírito. Adoramos a Deus por quem ele é, e agradecemos a Deus pelo que ele faz. Quando estamos cheios do Espírito, nosso coração se volta para Deus em alegre e santa devoção. Quando estamos transbordando do Espírito reconhecemos a bondade de Deus em todas as circunstâncias e o agradecemos pelos seus gloriosos feitos.

Uma pessoa cheia do Espírito tem relacionamentos transformados (Ef 5.19) – O apóstolo escreve: “falando entre vós com salmos”. A expressão “entre vós” fala de relacionamento e comunicação. Uma pessoa cheia do Espírito tem relacionamentos transformados. Sua comunicação é regada pelo amor. Suas palavras são medicina para a alma. Uma pessoa cheia do Espírito não fere a outra com a língua, mas enaltece e abençoa as pessoas com a palavra. Nossas palavras refletem nosso coração. Nossas palavras atestam o quanto o Espírito Santo controla a nossa vida. Um crente cheio do Espírito é um encorajador e não um provocador de contendas. Sua palavra constrói pontes em vez de cavar abismos.

Uma pessoa cheia do Espírito tem disposição para servir (Ef 5.21) – O apóstolo Paulo ainda diz: “sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo”. No reino de Deus maior é o que serve. Um crente cheio do Espírito jamais é uma pessoa arrogante e soberba. Um crente cheio o Espírito jamais alimenta mania de grandeza. Ele se dispõe a servir em vez de ser servido. Ele cinge-se com a toalha e se dispõe a lavar os pés dos irmãos. Ele não tem em vista o que é propriamente seu, mas também o que é dos outros. Um crente cheio do Espírito é uma pessoa humilde, generosa, prestativa e que faz da vida uma plataforma de serviço e não uma feira de vaidades. Ser cheio do Espírito não é uma opção, mas uma ordem divina.

Como ser usado pelo Espírito Santo

l      Ter uma vida dedicada à Deus

l      Humildade

l      Vida de oração

l      Renúncia

l      Conhecer a palavra de Deus

l      Fazer para o próximo

l      Relacionar bem com Deus e com o próximo

Nomes do Espírito Santo

1. Espírito Consolador – Jo 14.16, “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre”. Jo 14.26, “Mas o Ajudador, o Espírito Santo a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto eu vos tenho dito”.

2. Espírito da Verdade – Jo 14.17, “a saber, o Espírito da verdade, o qual o mundo não pode receber; porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque ele habita convosco, e estará em vós”. Jo 16.13, “Quando vier, porém, aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras”.

3. Espírito Eterno – Hb 9.14, “quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, purificará das obras mortas a vossa consciência, para servirdes ao Deus vivo?”

4. Espírito da Graça – Hb 10.29, “de quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue do pacto, com que foi santificado, e ultrajar ao Espírito da graça?”

Funções do Espírito Santo

1. Consola os tristes e abatidos.

2. Ensina a verdade de Deus, Jo 14.26, “Mas o Ajudador, o Espírito Santo a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto eu vos tenho dito”. Jo 16.13, “Quando vier, porém, aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras”.

Observe:

a.        “…ensinará todas as coisas…”;

b.       “…vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito”;

c.        “…guiará em toda a verdade…”;

d.       “…dirá tudo o que tiver ouvido…”;

e.        “…anunciará coisas vindouras”.

3. Provoca o arrependimento no pecador, Jo 16.8-11, “8 E quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: 9 do pecado, porque não crêem em mim; 10 da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais, 11 e do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado”.

Observe que Ele convencerá o homem:

a.       do pecado;

b.       da justiça;

c.       do juízo.

4. Capacita o crente para o testemunho, At 1.8, “Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samária, e até os confins da terra”.

5. Derrama a amor de Deus em nossos corações, Rm 5.5, “e a esperança não desaponta, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado”,

6. Dá Testemunho de Cristo, Jo 15.26, “Quando vier o Ajudador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que do Pai procede, esse dará testemunho de mim”.

7. Glorifica a Jesus, Jo 16.14, “Ele me glorificará, porque receberá do que é meu, e vo-lo anunciará”.

Símbolos do Espírito Santo [Lucas 3.21-22]

ÁGUA – A ação do Espírito Santo no Batismo, significando o Novo Nascimento.  (1 Cor 12, 13). Símbolo da vida e da purificação. A partir desta realidade diária, o povo de Deus falou dos modos de agir Deus no mundo.
Enquanto a água normal não apenas lava por fora e vivifica a vida física, como também sinal de purificação espiritual, pois Jesus é batizado com água, demonstrando assim a riqueza espiritual da água portanto Jesus dá á água um aspecto moral e de vida nova (quem se deixa levar pela água do batismo terá uma vida nova).

A UNÇÃO COM O ÓLEO –  Semelhante a unção de Jesus o “Messias”, que significa o Ungido e devemos chegar à plenitude de Cristo. (Lc. 4,18 ; Efésios 4,13)

O óleo é utilizado na unção dos doentes e unção sacerdotal. A Bíblia refere a unção de vários tipos de pessoas.
Óleo, símbolo da abundância e felicidade, pois, era fonte de muitas riquezas, bem como: alimento ou como afrodisíaco.
O óleo/azeite, muitas vezes imbuído de essências perfumadas penetrava na pele e dava ao organismo novo vigor e agilidade.

O FOGO – energia transformadora que ilumina, aquece, purifica, irradia e propaga-se indefinidamente. (Lucas 3,16 ;  Atos 2,3-4 ; 1 Tess 1,19). Além de ser um elemento importante da vida humana, o fogo representa também uma força purificadora e destruidora implacável. O fogo tudo destrói, atingindo o coração das “coisas”. Por isso, o fogo vai ligado à intimidade, ao mais profundo da pessoa.

O SOPRO, VENTO, ESPÍRITO – Também brisa suave, para que se tenha vida. (Gen. 2,7 ; Jo 3,8 ; Atos 2,2 ; Rom 8, 5-6)

As qualidades do vento, que traduzem a ação do Espírito: o vento não se vê, apenas se sente a sua passagem, no movimento dos objetos ou na respiração, isto é, sentimos apenas os seus efeitos; conserva a vida, porque não podemos viver sem ar.
Conhecemos apenas os efeitos da sua passagem, umas vezes devastadora, como o ciclone, noutras leve como a brisa.
O vento forte é sinal da ação poderosa de Deus, o vento-brisa é sinal da paz que deve
reinar na natureza e da sua presença no mundo.

POMBA – com Noé 8,8-12 ; no Batismo de Jesus Mc 1,10

Podemos primeiramente falar deste símbolo como; um ser que voa, não apenas no nosso imaginário como no nosso real. A pomba significado da paz também é para nós o símbolo de esperança de vida nova e de uma nova criação. Com ela podemos ter a certeza que a Palavra de Deus será espalhada pelos quatro cantos do mundo, pois, tem capacidade de voar, planar, sobrevoar, durante muito tempo.

O selo é uma marca duradoira e está relacionado com a idéia de pertença por parte daquele que o recebe e de posse por parte daquele que o coloca.
No batismo, a Igreja marca com o selo da Cruz os batizados. Com isso, a Igreja pretende dizer que precisamos do selo do Espírito de Jesus.

NUVEM E LUZ – Uma Teofania, ou seja, uma manifestação de Deus em algum lugar, coisa ou pessoa. No Antigo Testamento com Moisés no livro do Êxodo em várias passagens e no Novo Testamento Lucas e em Atos.

Comunidade Evangélica Vale de Bênção – São Paulo/SP

Tel. 0xx11 3484.6185

Email: prlucianoescala@hotmail.com

Acesse: www.comunidadevb.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.